julho 21, 2013

voltam as noites de sábado, azuis

Não imaginas o quanto te desenhei nas luzes do concerto. Sentir os teus dedos deslizar em mim  em vez da música. Era uma soirée de vozes no meu ouvido. Bateria ou piano. Era outra coisa qualquer ao som  da Áurea, e, não tu  longe algures a curar um mal de cabeça.

2 comentários:

  1. Gosto da maneira como escreves! :)

    Segui,
    MM

    ResponderEliminar
  2. Mas a música desliza e nunca se esquece de ti. Em ti.

    ResponderEliminar