julho 07, 2013

'7 de Julho

Hoje assisti a Istambul numa praia junto a uma torre. O mar dividido pela linha do sol manteve-me na sombra, a quebrar os ossos na água gelada. Mas entre o corpo paralizado e a pele morena, olhei de volta contra a areia quebrada e baixei o rosto para as águas e lá, na profundidade, estava a cidade cheia de cor, que ia e vinha em movimentos lentos. A água terminava sem espuma no começo da areia serena e, essa parecia magia. Istambul esteve tão perto quando o relógio marcou as 20h00 sobre uma temperatura elevada.


6 comentários:

  1. eu não estou perdida, muito pelo contrário, e acho que é esse reconhecimento de mim e do que me roeia e da minha vida que me está a pesar.

    ResponderEliminar
  2. Istanbul, a minha primeira grande viagem! Quero tanto lá voltar :)

    ResponderEliminar